sexta-feira, outubro 31

Ser Igreja

Na Igreja faltam os afectos!

Era mais ou menos isto que António Couto, bispo auxiliar de Braga, dizia ontem no primeiro Encontro com S. Paulo, em Guimarães.

Isto leva-nos a pensar sobre que Igreja somos?!

Onde paira o carisma que moveu a Igreja primitiva e que levava os pagãos a admirarem-se: Vede com eles se amam!

Como é possível que num espaço que se supõe a vivência da Comunhão, não existam afectos?

Afinal, o que é a Igreja, situada no aqui e agora históricos?

Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos:
se vos amardes uns aos outros! (Jo 13,35)

3 comentários:

Fabiola disse...

Ainda bem que foi um Bispo a dizê-lo, pois se fosse eu, como militante do MCE ou membro do Grupo de Jovens seria trucidado! Abram-se os corações, sejamos mais fraternos...

Anónimo disse...

Escusamos de ser tão radicais no que diz respeito ao que diz A ou B. Todos somos responsáveis pela Igreja que somos e por esse facto dentro da liberdade de filhos de Deus podemos e devemos fazer algo mais para que sejamos mais irmãos.

suse disse...

Bem, esse Bispo tocou-vos aí no fundo...